sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Entrevista Planeta Turismo com Ruy Façanário

Logotipo do Programa
A equipe a Arte do Turismo e da Hotelaria entrevistou o apresentador Ruy Façanário do Programa Planeta Turismo que é apresentado em todos os domingos a 7h 30min no Sistema Brasileiro de Televisão (SBT).
Segundo o texto exposto no Site do Programa:
Arquivo Pessoal
“Nossa história começa em 1995, quando então surge o Programa Camping & Lazer, com o objetivo de mostrar alternativas de turismo, em especial o campismo, na então Rede Mulher de TV. Esse programa ficou do ar até o final de 2000, quando saímos e observamos que o nome precisava ser maior, que atendesse mais demandas do turismo e ai surge o Planeta Turismo. Passando por umas Tvs a Cabo entre 2000 e 2001.Em 2002 acontece a estreia no SBT, fase muito importante onde o programa se consolidou, em 2003 recebe o prêmio de melhor programa de turismo da TV, o que motiva ainda mais toda a equipe  pra seguir mostrando o melhor do turismo no Brasil e no mundo.
Foram quase 5 anos no SBT, saindo no final de outubro de 2006.
Em 2007 o Planeta Turismo passa pela TVJB, e em 2008 chega à TV Cultura, ganhando mais um selo de qualidade.
Arquivo Pessoal
Em 2009 faz sua estreia da Rede TV! onde permanece por quase dois anos.
Agora em 2014 o Planeta Turismo volta com toda força nas manhãs de domingo do SBT, prometendo muita aventura e emoção, escrevendo mais uma página da sua história.”
Na entrevista Ruy conta as suas experiências, carreira, dia a dia e ainda dá conselhos para os profissionais e futuros profissionais. Acompanhe a entrevista na integra:
1.    Ruy você possui formação na área? Se sim, qual?
Sou formado em Psicologia, tendo atuado por 8 anos na área antes de me tornar apresentador, depois me especializei em marketing, voltado para o turismo
2.    O que fez você a escolher o turismo como profissão? Tinha outra profissão em mente antes do turismo?
Como respondi anteriormente, acho que o turismo me escolheu depois que comecei e é um orgulho poder mostrar isso na TV.
Arquivo Pessoal
3.    O programa surgiu em 1995, que era apresentado na então Rede Mulher na TV, mas o antigo nome era Campismo e Lazer. Ruy a partir de que surgiu a ideia de realizar esses programas?
A ideia surgiu de uma brincadeira entre amigos e ai fui acreditando que seria possível fazer algo, mas nunca imaginei que iria tão longe, entendo que construímos algo especial, mostrar nosso turismo, de uma forma leve e descontraída, em 2000 mudamos o nome, pois atingíamos todo tipo de turismo, o que fortaleceu o trabalho.
4.    No inicio como eram o procedimento do programa, você fazia as viagens e mostrava as principais características do local?
No inicio começamos com os campings, mostrando essa modalidade de turismo, mas ai vimos que podia ir bem além, as viagens aconteciam e sempre buscava mostrar coisas diferentes de cada lugar, sempre no improviso, o que acabou dando certo,
5.    Nota-se que durante a sua carreira você ganhou alguns prêmios de melhor programa de turismo, a que você dedica esses prêmios?
Ao trabalho, muita dedicação e amor no que faço.
Arquivo Pessoal
6.    Para você qual é a importância de conhecer outros lugares, nova culturas e novos hábitos?
Esse conhecimento não tem preço, as histórias, os lugares, enfim, levar coisas boas para as pessoas de um forma geral, me abasteço e levo essa energia para todos que gostam desse trabalho.
7.    Em que sentido você acredita que o turismo possa interferir na vida dos viajantes?
O turismo tem que ser visto como uma grande indústria e nosso país tem essa vocação natural, falta incentivo, pois com certeza vai gerar emprego em todos os setores, o turismo é capaz disso, muitas regiões podiam se desenvolver ainda mais com o turismo, formar mão de obra, capacitar as pessoas e os investimentos em hotéis, pousadas, restaurantes, enfim, é uma grande máquina.
Arquivo Pessoal
8.    Ruy, a sua carreira e o seu trabalho são admirados pela maioria dos futuros turismólogos. Qual é a receita do sucesso? Qual conselho você dá para os futuros profissionais que almejam ganhar nome na área?
Que acreditem no turismo, e pensem o turismo além das coisas acadêmicas, pois nem sempre da para aplicar e temos que ter a sabedoria de entender cada lugar. Com isso a receita a trabalho e muita dedicação.
9.    Atualmente quantas pessoas trabalham com você?
Umas dez pessoas
Arquivo Pessoal
10. Sobre a sua reestreia no SBT, da nova temporada tem algum lugar que você visitou que realmente te encantou? Quais são os desafios dessa empreita?
São muitos, cada um com sua característica, sou apaixonado pelo Brasil.
11.  Como é o dia a dia de filmagens?
Começa sempre muito sedo, por volta das 6h e só termina quando o sol se põe, a natureza é assim, temos que interagir o tempo todo, por isso o programa acontece. Empenho e dedicação.

AGRADECIMENTO
A Equipe A Arte do Turismo e da Hotelaria fica lisonjeado com a entrevista com o apresentador Ruy Façanário, desejamos muito sucesso em sua carreira e boas novas ao programa. Agradecemos a simpatia e cordialidade

CONTATO
Programa Planeta Turismo: diretoria@planetaturismo.com
Site Planeta Turismo: http://www.planetaturismo.com/
Facebook Planeta Turismo: https://www.facebook.com/pages/Programa-Planeta-Turismo-Ruy-Fa%C3%A7anario/134031129965773?fref=ts
Acompanhe os programas do Planeta Turismo: https://www.youtube.com/user/ruyplaneta
Contato A Arte do Turismo e da Hotelaria: Leonardo.giovane@hotmail.com
A Arte do Turismo e da Hotelaria no Facebook: https://www.facebook.com/pages/A-Arte-do-Turismo-e-da-Hotelaria/815870901760518?fref=ts
Todos os direitos reservados

segunda-feira, 8 de dezembro de 2014

Turismo Adaptado- Por Alexandre Quintino

Imagens Retiradas da Internet
  Cerca de 24 % da população de todo o Pais tem algum tipo de deficiência aproximadamente 46 milhões de brasileiros seja ela física,auditiva,visual ou deficiência sensoriais ,mental ou intelectual ,paralisia cerebral ,síndrome de Down e múltipla. Dessa forma dez por cento da população mundial tem um tipo de deficiência fazendo com que 80% viva em pais em desenvolvimento que é o caso do nosso Brasil.
      Pensando nesse ponto de vista vem se perguntando por que o turismo adaptado cresce a cada dia? Já que é um tema tem se falado muito no mercado nacional e internacional fazendo com que acabe de vez com esse preconceito que não se leva a nada, pois todos tem o direito de ir e vim independente da deficiência afinal estão fazendo turismo do mesmo jeito ou ate mais dependendo do destino escolhido, esse seguimento vem tomando espaço de uma maneira muito positiva fazendo o que as empresa pense no assunto e fale da melhor formas pois estão vendendo produtos turísticos .
Imagens Retiradas da Inter


      O país vem se desenvolvendo no turismo crescentemente chegando 9,5 por cento da economia global, cerca de 500 bilhões de reais e nos faz estar na sexta posição mundial, com todos esses avanços o turismo adaptado mostra que somo sim o país da diversidade cultural e não temos só as belezas naturais, mas também uma cultura cheia de valores e de vários povos que cada região leva suas historia, costumes, crenças, gastronomia e o nosso carnaval insubstituível que dentro de um continente chamado America do Sul podemos ver vários ritmos de carnaval seja ele samba, axé ate mesmo o carnaval cultural de um estado tornado o nosso continente referencia dentro e fora do país.
     

     E o turismos de aventura adaptado com sua grande procura e estar ao lado da natureza e fazer esporte e essencial na vida de todos pensando dessa maneira a varias modalidade de turismo de aventura (escalar paredes, pular de paraquedas, trilhas para deficientes visuais na chapada dos Guimarães no Mato Grosso) dicas de passagem a cidade Socorro no interior paulista onde tem catorze atividades de aventura totalmente adaptado como as pontes de madeiras entre as copas das arvores, tirolesa, passeios em carros adaptados entre outras modalidades, vale lembra que esse setor é de uma importância grande, gerando empregos diretos e indiretos e levando o turismo adaptado, além disso, tornado o prazer de viajar e a liberdade estar dentro de todos e explora como qualidade de vida se aventurando junto da natureza que da o equilíbrio que todos precisam para sermos mais humanos e mostrar que a deficiência e se adequá, mesmo assim não é impossível que a busca da felicidade dependa de cada um, sem duvidadas a acessibilidade e a inclusão social faz parte de todos para viver no país justo e acessível.
Imagem Retirada da Internet


          O Brasil tem a junção das leis de acessibilidades seja no federal, estadual e municipal, pesando nesse ponto de vista é necessário mudar essa realidade das pessoas e ver e não se comover, mas sim ter atitudes e pensando no bem de todos. Encontramo-nos no século vinte e um no qual o mundo digital permite que possamos navegar por onde sentirmos vontade, mas precisamos ter solidariedade e pensar no outro, precisamos saber que de fato que não somos únicos pais, cheio de satisfação e a alegria nesse sentido a deficiência e o turismos adaptado, como exemplo, é tratado em uma mesma sintonia, nesse sentido se entende que podemos e queremos fazer o diferencial só depende de cada um.

Sobre o Autor
Alexandre Quintino
Nasci em Arapiraca/AL ,cursei o ensino médio no colégio santíssimo senhor, sou Bacharel em Turismo pela Faculdade de Ensino Regional Alternativa FERA, onde realizei o trabalho de conclusão de curso como o tema TURISMO SEM EXCLUSÃO UMA PROPOSTA DE INCLUSÃO DE DEFICIENTES COM AS PRATICAS TURÍSTICAS .
Atualmente faço pós em Recursos Humanos e também um curso de eventos que me identifico muito nessa área de eventos onde pretendo atuar e dedicar minha vida profissional, como em outros segmentos do turismo. O turismo adaptado e acessível para todos, cultural e ecoturismo.
Ler nos faz viajar, mas é fundamental para a mente. Portanto pratique esse dom que transforma as pessoas

Contato: alexandre.aqs@hotmail.com

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

Exposição Ron Mueck- Pinacoteca de São Paulo

Ron Mueck é um escultor australiano, internacionalmente reconhecido, pelo realismo de suas obras. 
Após o sucesso de suas exposições pela Nova Zelândia, Japão, França, México e Argentina, suas obras chegaram ao Brasil. 
Passaram primeiro pelo Rio de Janeiro e, desde o dia 20 de novembro, estão em exposição na Pinacoteca de São Paulo.
Escolhemos a noite de quinta-feira para conferir o trabalho desse inovador artista contemporâneo.
Chegamos às 19h e já encontramos uma pequena fila na calçada, antes mesmo de ultrapassar os portões de acesso ao jardim da Pinacoteca, no Parque da Luz. Do lado interno, uma outra fila, com aproximadamente cem pessoas, aguardava ao pé da escadaria do prédio.
Aguardamos por cerca de 30 minutos, nas duas filas, sob fina garoa. Nada tirou o bom humor dos visitantes, muitos jovens, pais com seus filhos e grupos da terceira idade. Todos ansiosos.
Não canso de olhar para o resultado do restauro nos prédios da Estação da Luz e da Pinacoteca. Essa última, me encanta particularmente, por ter juntos a arquitetura e materiais originais e a contemporaneidade do ferro, das passarelas e da claraboia. Mas isso é assunto para outro momento.
Maos
Finalmente chegou o esperado momento, o de conferir de perto o meticuloso trabalho de Ron Mueck. 
A exposição ocupa algumas salas do primeiro andar e o Octógono. 
A riqueza dos detalhes surpreende, pequenas rugas, barba, olheiras, expressões faciais, gestos ...
Uma exposição que nos faz esquecer do tempo; nossos olhares pedem muito mais que alguns minutos em cada uma das 9 esculturas.
Acompanha a exposição, o documentário "Still Life: Ron Mueck at Work", que apresenta o artista trabalhando.

RON MUECK
20 de novembro de 2014 a 22 de fevereiro de 2015
PINACOTECA DE SÃO PAULO
Praça da Luz, 2 – Luz

Funcionamento
Terça a domingo das 10h às 18h
Quintas aberto até 22h - Entrada até às 20h30

Ingressos
R$ 6,00 e R$ 3,00
Gratuito às quintas após as 17h e sábados o dia todo

Complemento





Matéria de Júnia Matsuura
Guia de Turismo e Voluntária no Projeto Social, Sí, Yo Puedo!

Contato: juniakmatsuura@gmail.com