sábado, 25 de abril de 2015

Artesanato, sinônimo de lembrança.

Artesanato da Estância Turística
de Joanópolis.
Quando visitamos um destino e nos encantamos com o que vemos, seja bela beleza paradisíaca da paisagem, ou bela arquitetura singular, ou pela hospitalidade de seus moradores, ou pela peculiar culinária, é comum sentir a necessidade de levar um pedacinho deste lugar para casa, pois só guardar no coração não é suficiente e precisamos de algo material.
E essa necessidade pode ser suprida nas barraquinhas de artesanato, na qual o viajante pode mergulhar no universo cultural, social e artístico local e, além disso, ter a oportunidade de adquirir um objeto que detêm os traços culturais daquele povo.
Essa relação de compra das famosas “lembrancinhas” auxilia ambos os lados, os viajantes que atribuem aos objetos os sentimentos e memórias daquela viagem, e a comunidade local que por meio do artesanato gera renda e dissemina seus valores e tradições.
Contudo, essa relação de troca com a comunidade vem se tornando um elemento mercadológico, uma vez que a comunidade, em busca de gerar mais lucro, compra outros objetos que não são tradicionais daquela região e utilizam como se fosse.

Mas mesmo sendo um objeto feito na localidade ou fora da localidade, o valor sentimental é o mesmo. A mente humana atribui às coisas significados e esses significados são evocados a cada olhada, fazendo assim à volta ao passado e tornando ele presente em poucos segundos...


Coluna feita especialmente para o Jornal O Registo. Dado a necessidade da diminuição do conteúdo para  publicação em jornal, nem todos os assuntos referentes a temática foram abordados. Acompanhe:
Jornal O Registo, Abril de 2015

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Frustrações de um Estudante de Turismo

Escolher a profissão ideal é algo realmente muito difícil, ainda mais se for à primeira escolha. Acredito que relato um sentimento próprio e um sentimento de inúmeras pessoas, quando afirmo que escolher algo que refletirá nos seus próximos anos é algo realmente perturbador.
A Liberdade Expressiva.
Colagem em Papel Cartão.
Não vou procurar abordar o universo da escolha da profissão neste texto, mas sim abordarei a escolha de uma profissão específica, a do Turismólogo.
Profissão essa recente na sociedade contemporânea, com um reconhecimento bem recente e sem regulamentação. Profissão, que muito se fala na sua importância para o planejamento do turismo em todas as suas modalidades, e, além disso, a ciência que estuda o fenômeno do turismo. Teoricamente falando, temos muito campo de atuação e mercado para suprir a mão de obra gerada, mas só teoricamente (ou talvez não).
Quando se entra no curso de bacharel em turismo, um novo mundo renasce, pelas palavras de nossos professores somos embalados a sonhar com um futuro próspero e digno do nosso esforço de mais de 4 anos de faculdade.
Contudo, além do fato de existir pouca informação sobre a profissão na internet, e as que existem são pouco embasadoras e fazem referencia ao meio teórico, e por sua vez, as que retratam o meio prático da profissão são desmotivadoras.
A desmotivação é gerada nas informações errôneas veiculadas na internet, o desconhecimento da população sobre o papel do turismólogo, e por ultimo, mas de suma importância, a difamação e as experiências contadas por profissionais que já são formados em turismo.
Esses profissionais, em sua maioria, profanam coisas que são capazes de fazer qualquer um largar o curso de turismo. Para se ter uma ideia, eles dizem que a área não possui campo de trabalho, que não somos regulamentados e que eles estariam felizes se não tivessem feito turismo, em parte não estão errados.
Mas sem sombra de dúvidas não é possível ter animo para cursar turismo após o relato deles.
Contudo, acredito eu, e afirmo isso todo dia para continuar nesta jornada, que o nosso futuro somos nós que fazemos. Se não somos regulamentados, não temos salário digno e campo de trabalho, isso é um problema da categoria em um todo e, cabe ao todo lutar para mudar essa realidade, mas se o todo não coopera, cabe a você mudar o seu destino.
Mudar o destino é simplesmente criar as oportunidades, se engajar, procurar reinventar e se inserir no mercado de trabalho. Se ficarmos em casa reclamando ou desistir na primeira barreira, nunca vamos conseguir nada. E no meu ponto de vista é isso que ocorre com a maioria dos turismólogos, a acomodação, ou simplesmente, esperar que o outro lute e faça por você.

Se pudesse dar um conselho, falaria- Não seja mais um acomodado, não seja mais um ser envolvido pela inércia e alienado, mude o seu “hoje” para que o “amanha” seja diferente.

quinta-feira, 16 de abril de 2015

O Primeiro Ano na Faculdade de Turismo

O Primeiro ano de faculdade é bastante interessante. O primeiro dia já é um tanto quanto inusitado, todos os seus professores provavelmente vão te entrevistar, perguntando de onde você veio? O que você faz? Quantos anos você tem? E porque escolheu turismo.
Você provavelmente vai saber as suas repostas e as dos seus colegas na ponta da língua, mas, com certeza, você irá ter uma crise de risos com seus colegas dizendo que escolheram turismo porque gostam de viajar (pobres iludidos).
No decorrer do ano você vai observando que as suas matérias são as mais teóricas possíveis, tudo isso para ir te inserindo no turismo. Basicamente a única matéria ligada ao turismo será TGT- Teoria Geral do Turismo, ou seja, estudar o SISTUR do Beni, sim, ele será sua bíblia por um ano...
No primeiro ano de faculdade você está na fase de descobrimento da vida em faculdade (uma beleza rs), você começa a sair, fazer novas amizades, conhecer os cantos da cidade e sobretudo ir para as festas e, ir com uma "mega" disposição para as aulas, isso ainda mais visível nas semanas de integração.
Ah é claro, os trotes. Os famosos trotes, mais conhecidos pelos discentes como “brincadeirinhas de integração”, esses estarão presentes nos seus estimados 2 meses de faculdade ou até a sua possível libertação.
Saindo da farta vida social e voltando para a vida acadêmica. As aulas teórica são as melhores possíveis, você quase não faz uso do "Café" para se manter acordado quando se estuda Freud, Max Weber, Durkheim, Karl Marx.
Mas tirando esse mero detalhe, o primeiro ano é o ano de por em prova se você é capaz, pois você acaba de sair do ensino médio e já se vê induzido a uma nova modalidade de ensino.
Outro fato bem interessante é a sua grade curricular, no primeiro semestre te dão 5 janelas, no segundo semestre te dão 3, no terceiro te dão 1. Enfim, o que esperar do 4º?. Entretanto, no 7º e 8º semestre há 20 janelas, mas também há o querido TCC e o amado estágio obrigatório.
Então siga confiante, se você já fez o primeiro ano e pensa em desistir, meu conselho é o seguinte, agora virão às matérias de turismo, mas sua vida social irá embora junto com o primeiro ano.


Acompanhe esse vídeo:

sexta-feira, 3 de abril de 2015

Diagnóstico 1/2015- Passos do Turismo

1. INTRODUÇÃO
Com o objetivo de obter informação sobre as publicações, bem como os gostos e preferencias do publico, o blog A Arte do Turismo e da Hotelaria, realizou uma pesquisa com turismólogos, futuros turismólogos e profissionais do ramo do turismo.
A pesquisa ocorreu durante os dias 20 de março e 02 de abril de 2015, no total foram 105 respostas. As perguntas estavam dispostas na plataforma do google docs, assim, os entrevistados acessavam a plataforma e respondiam as perguntas abertas e fechadas.
Salienta-se, também, que além de melhorar as publicações e os assuntos retratados no blog, a pesquisa também tinha o intuito de diagnosticar as carências da profissão dos turismólogos, bem como os seus anseios e dificuldades.
2. RESULTADO DOS DADOS COLETADOS2. 1 Quais assuntos sobre o turismo você gosta de ler?

Na plataforma de questões existiam inúmeras opções de segmentos do turismo, o entrevistado poderia escolher apenas uma, contudo existia a opção “Outros” e, muitos entrevistados assinalaram e descreveram mais de uns segmentos. O blog considerou todas as respostas, alcançando um total de 112, respostas. Conforme a tabela e o gráfico a seguir:
Tabela 1- Relação de Escolhas
A partir dos dados foi possível a confecção de um gráfico em formato de Pizza.
Gráfico 1- Relação de Escolhas
É possível aferir desta forma que o segmento do Turismo de Intercambio ficou em 1º lugar, seguido do Turismo Cultural em 2º lugar e o Turismo de Eventos e Turismo de Experiência em 3º lugar.
2.2 O que você mais gosta de ler sobre o campo do turismo?
Essa pergunta alcançou as seguintes estatísticas:
Tabela e Grafico 2- Relação de Escolhas
2.3 Na sua opinião, há campo de trabalho, salário digno, para os turismólogos?
Essa pergunta alcançou as seguintes estatísticas:
Gráfico e Tabela 3- Relação das Escolhas
3. OBSERVAÇÕES

Salienta-se que os resultados das perguntas:
O que você acha que poderia ser feito para o turismo crescer mais?
Na sua opinião, qual é o papel do turismólogo?
Foram resumidas e publicadas no vídeo abaixo: